SAÚDE OCUPACIONAL

Desde há 20 anos, existe uma legislação, que normatiza todas as atividades relacionadas ao trabalho (Normas Regulamentadoras da CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas).

Condutas errôneas adotadas por diversas empresas, levam a reclamações de funcionários, comentários distorcidos e perda de tempo, para ambas as partes.

“A maioria dos “erros” acontecem por falhas nos procedimentos básicos.”

 

SIGA AS ORIENTAÇÕES

1) Nunca mantenha um funcionário trabalhando em sua empresa, sem que esteja registrado

  • O funcionário somente poderá ser registrado a partir da data de liberação do Atestado Admissional, e não poderá continuar trabalhando após a demissão.

2) Planeje o atendimento de seu funcionário, levando em consideração a necessidade da realizaão de exames complemantares

  • A liberação dos Atestados de Saude Ocupacional – ASO – (admissional, periódico, mudança de função, retorno ao trabalho e demissão), pode não ocorrer no mesmo dia do atendimento.
  • Poderão ser necessário exames complementares, conforme a função exercida pelo funcionário.
  • A liberação do ASO (atestado de saúde ocupacional) somente ocorrerá após o conhecimento dos resultados dos exames complementares, desde que estejam normais.

3) Ao agendar o exame de seu funcionário, certifique-se sobre os custos dos procedimentos e a forma de pagamento.

  • Todos os custos relacionados à emissão dos Atestados Ocupacionais e à realização dos exames complementares, deverão ser pagos pela empresa, em qualquer circunstancia.

4) Ao agendar o atendimento de seu funcionário, verifique pendências,confirme horários, tire suas dúvidas, e tenha em mãos os dados da empresa, para cadastro.

5) Veja neste site, na aba RISCOS OCUPACIONAIS, qual a relação entre atividades de trabalhos mais comuns, os riscos ocupacionais, exames complementares necessários e periodicidade de exames complementares.

  • Lembre-se que estas indicações podem sofrer alterações conforme as características das atividades e da empresa.